Estudo comprova que o álcool ajuda a falar outro idioma com mais facilidade

 

Muitas pessoas afirmam que beber um pouco mais de cerveja, vinho ou qualquer outra bebida alcóolica ativa nossa capacidade de falar outro idioma de maneira mais fácil.
E parece que quem faz esse tipo de afirmação está certo, pois beber um pouco mais ajuda a diminuir as inibições, o que se torna mais fácil para algumas pessoas superar o nervosismo ou a hesitação.
A bebida alcoólica costuma fazer com que uma pessoa tímida ou muito nervosa sinta mais facilidade em falar em público, ou consigam desenvolver um diálogo em uma língua estrangeira sem muita dificuldade.
Logicamente que, beber em excesso tem seu ponto negativo, pois o álcool pode prejudicar as funções cognitivas e motoras, elevar o sentimento de confiança e auto avaliações infladas, além de afetar negativamente a atenção e memória.

O resultado do estudo
Para esclarecer algumas dúvidas, estudiosos holandeses e britânicos se dedicaram a um experimento divulgado recentemente no Journal of Psychopharmacology.
Com o andamento do estudo, eles notaram que as pessoas participantes realmente falaram mais fluentemente após ingerir uma dose pequena de álcool.
A pesquisa incluiu 50 falantes nativos de alemão que cursavam na Universidade de Maastricht, localizada na Holanda. Todos os estudiosos participantes que bebiam álcool de vez enquanto e, porque suas aulas eram misturadas em holandês, tinham sido aprovados em um exame revelando proficiência no idioma.
Para comprovar isso, cada participante foi chamado para uma conversa casual de aproximadamente dois minutos com um entrevistador em holandês. Porém, antes da conversa se iniciar, metade deles recebiam água para beber, enquanto a outra metade recebia algum tipo de bebida alcoólica.
Para chegar a esse resultado, a quantidade de bebida variou com base no peso de cada pessoa. Para um homem de aproximadamente 70 quilos, foi oferecido um pouco menos de meio litro de cerveja.
Depois disso, as conversas foram gravadas e logo depois ouvidas por dois falantes nativos do idioma holandês que nem imaginavam quais participantes estavam alcoolizados ou não.
Os participantes também receberam o convite para participar de uma auto pontuação de suas próprias habilidades, com base em quão fluentemente eles sentiram que tinham falado.
Já na auto avaliação, o álcool não causou efeito sobre a auto avaliação dos participantes; aqueles que consumiam uma bebida não estavam mais confiantes ou satisfeitos com suas habilidades do que aqueles que consumiram água durante o teste.
Porém apresentaram um desempenho melhor, de acordo com os estudiosos que ouviram as gravações. Os falantes nativos do idioma julgaram as pessoas que estavam no grupo de quem consumiram alguma bebida alcoólica como tendo uma melhor influência.
Os resultados incluíam gramática, argumentação e vocabulário. Os estudiosos revelaram que a dose de álcool oferecida foi baixa, pois beber de maneira demasiada pode oferecer o efeito oposto na fluência e pode até deixar a fala arrastada e confusa.